Leia Mais
Solar panel on residential house rooftop. Solar system on home roof close-up. Many blue solar cells on building top for alternative energy.

Painéis fotovoltaicos: 8 dicas para escolher a melhor opção

Os painéis fotovoltaicos são uma excelente opção para quem deseja utilizar uma fonte de energia sustentável ao mesmo tempo em que economiza na conta de luz ao final do mês na sua casa ou empreendimento. É um investimento para o bolso e para o planeta.

Mas, o que levar em conta na hora de escolher um painel fotovoltaico? Alguns aspectos são muito importantes para nortear essa escolha. São eles: eficiência, garantia, fornecedores, os tipos de painéis, tolerância de potência, camada inferior (o backsheet), o coeficiente de temperatura e o custo.

Vamos conversar melhor sobre essas oito dicas para que você faça a melhor escolha quando for comprar o seu painel fotovoltaico.

Índice

1. Atenção à garantia

2. Opte por bons fornecedores

3. Camada inferior, o backsheet

4. Custo final

5. Qual o tipo ideal?

6. Escolha a eficiência ideal

7. Coeficiente de temperatura

8. Tolerância de potência

9. A Liberty Energia pode te ajudar

1. Atenção à garantia

Estar respaldado caso os painéis apresentem algum problema é um item muito importante para prestar atenção ao comprá-los.

Questione o vendedor sobre quais são os procedimentos quando algum defeito aparece e sobre o prazo que a assistência leva para avaliar o problema. As respostas devem ser claras e devem trazer segurança.

Leia também: Placas ou painéis solares: conheça os tipos, saiba o preço e qual a durabilidade.

2. Opte por bons fornecedores

fornecedor de painel solar

Existem, de fato, muitos fornecedores nesse mercado em expansão da energia solar. Então, qual escolher?

Alguns itens a serem checados são:

  • possui referência?
  • atua a quanto tempo?
  • existem muitas reclamações sobre ele?
  • o site parece confiável e atualizado?

Pesquise ao máximo antes de fechar negócio.

3. Camada inferior, o backsheet

Camada inferior painel solar

Todo painel deve ter uma camada de plástico posicionada por trás para que as células fotovoltaicas fiquem protegidas. Verifique se não existem bolhas ou se não parece que essa camada irá se soltar com facilidade.

Leia também: Como fica a orientação e inclinação dos painéis solares?

4. Custo final

O valor é uma questão muito importante na hora de escolher seu painel. Tenha atenção à relação entre os watts de potência oferecidos e o custo final.

Lembre-se que o preço é apenas um item a ser analisado, então optar apenas pelo mais barato pode acarretar problemas futuros.

5. Qual o tipo ideal?

tipos de painéis fotovoltaicos

 

Existem vários modelos e tipos de painéis fotovoltaicos no mercado, como monocristalinos, policristalinos, filme fino e híbridos.

Verifique quais as características de cada um e, assim, faça uma escolha embasada sobre qual se adequa melhor a sua necessidade.

6. Escolha a eficiência ideal

A eficiência é a quantidade de energia solar captada pelo painel que é convertida em energia elétrica, em porcentagem.

Existem placas com diferentes valores de eficiência no mercado. O ideal é avaliar qual a sua necessidade exata, já que maior eficiência também acarreta um custo final maior.

Leia também: O que significa eficiência energética e como pode ajudar uma empresa?

7. Coeficiente de temperatura

Expresso por meio de um número em porcentagem, esse coeficiente fala sobre como o painel tolera temperaturas acima de 25 ºC.

Um coeficiente alto significa um painel de baixa qualidade. Valores entre 0,45 e 0,3% são parâmetros excelentes para uma boa escolha.

8. Tolerância de potência

Esse item está relacionado ao valor real de energia gerada pela placa fotovoltaica e está indicada na ficha técnica.

Um painel de 150W com tolerância de mais ou menos 5%, por exemplo, tem potencial para gerar entre 142,5W e 157,5W.

Essa informação é importante pois vai influenciar o valor real de energia disponível para uso.

A Liberty Energia pode te ajudar

Conte conosco para conseguir uma solução ideal em painéis fotovoltaicos. Temos a experiência necessária para te ajudar a fazer as melhores escolhas. Acesse nosso site e faça já uma simulação de projeto de energia solar, ou entre em contato conosco.

Leia Mais

Como a energia solar ajuda a diminuir custos com gás de cozinha?

A energia solar vem sendo uma alternativa cada vez mais sustentável em relação a energia elétrica. Ela vem apresentando cada vez mais benefícios para quem procura reduzir custos com fornecimento de energia elétrica convencional. Uma das grandes vantagens que podemos explorar é a redução do uso do gás de cozinha.

Custando hoje em torno de R$ 105,00, o gás de cozinha vem sofrendo alterações em seus preços desde 2019, pela Petrobrás. Isso acontece em razão da grande oscilação nos preços do petróleo e do dólar.

O gás de cozinha é produzido a partir do petróleo e seu preço é formado a partir da demanda mundial do mercado de gás.

Índice

1. Primeiro, entenda a oscilação nos preços

2. Como a energia solar ajuda na redução dos custos na cozinha?

3. Principais vantagens de um fogão movido a energia solar

Primeiro, entenda a oscilação nos preços

No início da pandemia, por causa das medidas geradas para combater a epidemia do novo Coronavírus, houve uma redução nos preços pois houve redução no uso de automóveis uma vez que as pessoas não saiam de casa.

Com a reabertura dos negócios, os preços voltaram a subir ainda no fim de 2020 e por causa do consumo, hoje os preços se encontram mais altos do que em toda história.

A valorização do dólar também teve grande relação no aumento do gás, que vem crescendo em um ritmo bastante acelerado.

Aproveite para saber também como a Energia Solar auxilia o Saneamento Básico.

Como a energia solar ajuda na redução dos custos na cozinha?

energia solar

Além da economia diretamente relacionada à conta de energia elétrica, outros benefícios também compõem o kit da energia solar. A redução do uso de gás de cozinha se dá através do uso de fogões elétricos movidos a energia solar.

Sendo a próxima tendência para fontes de energia renováveis, a solar proporciona um leque de oportunidades, principalmente na cozinha, se tratando de aparelhos elétricos que estão sendo cada vez mais adaptados para receber a energia solar.

Leia também: 3 modalidades de geração de energia solar e como funciona cada uma.

 

Principais vantagens de um fogão movido a energia solar

fogão movido a energia solar

De modo geral, são duas as principais vantagens em se adotar os fogões movidos a energia solar. São elas, segurança e economia.

A energia solar é um tipo de energia gerada de forma local, ou seja, não depende de uma “central” que emita a energia. Isso faz com que quem a possua não precise pagar altas taxas nem valores referentes a geração de energia.

É mais segura, pois não depende de energia elétrica para funcionar, não precisa eletricidade o que torna seus eletrodomésticos mais seguros em casa.

O fogão movido a energia solar funciona através da indução, moléculas que se movem em alta velocidade e isso esquenta a panela, o que torna dispensável o uso de gás para sua cozinha. Isso gera economia não somente na energia, mas também na compra do botijão.

Uma outra vantagem que podemos citar é que ele é autossustentável. O uso do gás acaba prejudicando bastante o meio ambiente, gerando impactos ambientais quando usados em larga escala assim como todos os combustíveis fosseis não renováveis.

Deu para perceber o tamanho da diferença entre o forno elétrico e o forno movido a energia solar? São enormes os benefícios gerados pela mudança, convido você a realizar uma simulação de projeto de energia solar e ser livre para gerar sua própria energia.

Leia Mais
Energy Efficiency Rating - House with Light Bulb

O que significa eficiência energética e como pode ajudar uma empresa?

Apesar de ser um termo bastante utilizado, o conceito de eficiência energética costuma ser bastante negligenciado pelas empresas. A questão, no entanto, é que a eficiência energética consegue oferecer excelentes benefícios para as marcas, desde que o processo seja implementado de maneira eficiente.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, confira este artigo que preparamos.

Índice

1. Afinal, o que é eficiência energética e qual a sua importância?

2. Como a eficiência energética consegue ajudar uma empresa?
2.1 Redução de custos
2.2 Fluxo de caixa mais eficiente
2.3 Competitividade

Afinal, o que é eficiência energética e qual a sua importância?

eficiência energética

Em geral, podemos definir que a eficiência energética nada mais é do que uma estratégia, que tem como principal objetivo fazer com que o consumo de energia elétrica seja otimizado e sustentável em um ambiente corporativo.

Ou seja, é a partir da eficiência energética que se consegue providenciar uma série de ações para reduzir custos internos.

Isso faz com que os recursos financeiros sejam direcionados para atividades que efetivamente podem entregar resultados promissores para o negócio no mercado. Ou seja, o conceito de eficiência energética é, basicamente, fazer mais com menos.

Leia também: Como economizar utilizando energia solar nas indústrias?

Outra forma de entender a eficiência energética é comparando os custos de energia de duas empresas de um mesmo segmento na fabricação de um mesmo produto.

Enquanto uma empresa de velas, por exemplo, tem um custo de cerca de R$ 50 com energia por hora, outra pode ter de apenas R$20 a hora.

Ou seja, a segunda empresa consegue produzir a mesma quantidade de velas, e no mesmo período que a primeira, mas com um custo energético muito menor. Isso significa que é mais eficiente.

Como a eficiência energética consegue ajudar uma empresa?

Como a eficiência energética consegue ajudar minha empresa?

Agora que você já consegue compreender um pouco melhor acerca da eficiência energética, vamos apontar alguns dos principais benefícios e como incentivar essa estratégia em uma empresa. Confira abaixo.

1. Redução de custos

Quando a empresa toma atitudes severas para otimizar o custo de energia em seus processos internos, ela consegue reduzir custos.

De forma prática, essa conscientização pode ser realizada através de reuniões entre os setores, cartazes espalhados pela empresa e até mesmo um processo de treinamento para incentivar a economia de energia em atividades internas por parte dos colaboradores.

Outro caminho é instalar um sistema fotovoltaico para gerar energia elétrica a partir da luz solar e suprir a demanda de energia da empresa, economizando na despesa com a conta de luz.

Leia também: Os benefícios da energia solar no agronegócio brasileiro.

2. Fluxo de caixa mais eficiente

Eficiência Energética

Em consequência da redução de custos na empresa, acabamos por obter um fluxo de caixa mais sustentável.

Ou seja, ao invés da empresa continuar gastando com uma energia além do necessário, ela poderá alocar os recursos financeiros advindos da eficiência energética para processos e atividades que efetivamente melhoram a performance do negócio.

3. Competitividade

Quando o senso de economia energética permeia o ambiente interno de uma empresa, conseguimos transferir recursos financeiros para estratégias e métodos que irão aumentar o volume de vendas do negócio.

Com isso, chegamos a um lugar importante, no qual toda empresa deseja estar: acima da concorrência.

Quando temos consciência de processos que consomem muita energia e decidimos elaborar formas mais eficientes para economizar, tendemos a gerar uma excelente reputação no mercado.

Saiba também: 3 benefícios da tecnologia de geração de energia solar.

Não somente por ter “dinheiro sobrando” para construir estruturas de vendas melhores, mas como também por ter uma consciência sustentável.

Clientes, parceiros, fornecedores e até mesmo instituições financeiras tendem a se relacionar com empresas que prezam pela sustentabilidade.

Gostou deste artigo? Agora que você já sabe a importância da eficiência energética na sua empresa e aprendeu como estimulá-la no ambiente interno, que tal ampliar o seu conhecimento sobre o assunto? Acesse o nosso blog ou faça uma simulação de projeto de energia solar.

Leia Mais

Saiba o que é geração distribuída e quais as vantagens

O cenário de mudanças climáticas que resulta em longos períodos de escassez de chuvas afeta bastante o custo da energia elétrica no país. Assim, tem se tornado urgente que todos pensem em formas mais inteligentes tanto para consumir, quando para gerar energia elétrica.

Isso porque gerar energia limpa por meio de um sistema de energia solar, por exemplo, é uma realidade possível para muitas pessoas atualmente.

Então, neste artigo vamos falar sobre a geração distribuída, descobrir as vantagens e analisar melhor esse tipo de alternativa.

Índice

1. O que é geração distribuída?

2. Vantagens do uso da geração distribuída
2.1 Redução de perdas
2.2 Retorno sobre o investimento
2.3 Produção de energia limpa
2.4 Benefícios sociais

O que é geração distribuída?

 

Geração distribuída

Tem relação com a geração de energia própria. Para tanto, é preciso ter um sistema gerador que produza energia elétrica próximo ao local onde será consumida.

Esse conceito traz consigo diversas vantagens, mas a principal delas é que instalar uma pequena usina de energia é uma forma de economizar com essa despesa recorrente.

Leia também: 3 modalidades de geração de energia solar e como funciona cada uma.

Para isso, é preciso ter um sistema com potência suficiente para abastecer residências, comércios ou mesmo pequenas indústrias que estejam localizadas no entorno.

No Brasil, segundo relatórios da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Brasil já ultrapassou a marca de mais de 1 gigawatt de potência que foi gerada através de minigeradores responsáveis pela distribuição de energia elétrica.

Não por acaso, a alternativa mais utilizada pelos brasileiros é a geração de energia solar, com mais de 82 mil miniusinas instaladas no território brasileiro.

Vantagens do uso da geração distribuída

Vantagens geração distribuída

Uma das principais vantagens observadas é a possibilidade de mitigar a perda de energia ocasionada em razão das linhas de transmissão dos métodos convencionais de distribuição de energia elétrica, feita por meio de de postes com fios elétricos.

O custo também é uma grande vantagem, visto que possuir um sistema gerador instalado vai evitar que se recorra ao uso da energia entregue pela rede convencional, que tem tido aumentos tarifários cada vez mais frequentes.

De modo geral, podemos listar as vantagens mais evidentes. Veja abaixo.

Redução de perdas

Modelo de Geração Distribuída Aneel

Como explicado anteriormente, a geração distribuída reduz as perdas de energia ocasionadas pelo longo trajeto que a mesma percorre até chegar na unidade de consumo.

Retorno sobre o investimento

É possível calcular de forma segura o quando a tecnologia de geração de energia ajudou a reduzir custos com energia elétrica. Assim, o investimento prova que é confiável e que gerou economia no processo.

Aproveite para saber também: Como calcular o ROI em energia solar.

Produção de energia limpa

A geração distribuída promove o uso de fontes alternativa de produção que são menos poluentes e têm impacto mínimo no meio ambiente.

Benefícios sociais

Um usina para geração distribuída pode resultar em oportunidades de trabalho para a população da região.

Isso porque quando se inicia um investimento nessa área, é preciso recorrer a equipamentos e à mão de obra qualificada, o que se desdobra em cursos, treinamento de pessoal, deslocamentos e transporte de materiais, entre outras demandas. Assim o setor fica aquecido.

De todas as fontes que podem ser usadas, encontram-se a energia eólica, solar e a energia movida a biomassa, que são os restos de alimentos ou detritos orgânicos.

Se interessou pelo projeto? Venha você mesmo fazer parte do futuro da energia no Brasil e no mundo, faça a  simulação de um projeto conosco e dê o primeiro passo.

Leia Mais
Engineers are examining solar panels in an installation at a pow

Como economizar utilizando energia solar nas indústrias?

Como sabemos, é muito importante para todo empreendedor reduzir custos ao máximo e, assim, aplicar melhor os recursos da empresa de forma a torná-la mais rentável. Nesse ponto, o uso de energia solar nas indústrias é uma alternativa inteligente, afinal pode garantir uma economia relevante com os gastos em energia elétrica.

Isso porque o consumo de energia nas indústrias é sempre muito alto e o cenário atual de fornecimento de energia pela rede convencional é bastante desfavorável, com aumentos exorbitantes e previsões ainda piores.

Então, o melhor é que você reflita o quanto antes sobre a importância de fazer a substituição das despesas da conta mensal pelo pagamento de um sistema de energia solar que liberte a empresa desse gasto oneroso e traga autonomia energética.

Índice

1. Como a energia solar gera economia para as indústrias?
1.1 A vantagem de contar com energia solar para os picos de consumo

2. Como ter energia solar na indústria?

3. Conheça o condomínio solar

4. Solar é sempre uma escolha energética inteligente

Como a energia solar gera economia para as indústrias?

Energia solar nas indústrias

Com um sistema fotovoltaico instalado a empresa passa a contar com sua própria usina de geração de energia a partir da captação de luz solar e logo fica livre das despesas mensais decorrentes do consumo pela rede de distribuição energética convencional, operada pela concessionária da região.

A economia pode chegar a 95%, ou seja, estamos falando de um impacto significativo para a gestão financeira da empresa.

Leia também: Os benefícios da energia solar no agronegócio brasileiro.

Inicialmente, o valor economizado pode ser utilizado para quitar as parcelas do sistema instalado, no entanto ao final do pagamento o sistema é de propriedade da empresa, que ganha também autonomia energética e não fica vulnerável aos reajustes nas tarifas das concessionárias de energia.

A vantagem de contar com energia solar para os picos de consumo

Energia solar para picos de consumo

Em momentos de pico industrial, quando a demanda por energia é maior, a energia solar é a solução ideal para fugir dos imprevistos com a instabilidade na rede de distribuição.

Além disso, nos períodos como o atual, de crise hídrica no país, o custo da energia elétrica fica muito elevado, o que pode comprometer de forma severa desempenho das indústrias.

Aproveite para saber como está o cenário atual da energia solar no Brasil.

Como ter energia solar na indústria?

Para a instalação de um sistema fotovoltaico é preciso, primeiro, fazer uma simulação do projeto mais adequado para a indústria, assim se conhecem os valores e se tem uma ideia da viabilidade do projeto.

Esse primeiro passo é necessário para conhecer as necessidades de consumo da propriedade em que a indústria opera, assim como o tamanho e a área de instalação do sistema fotovoltaico.

Então, tirar dúvidas nessa etapa inicial é muito importante, para que todas as informações fiquem claras e seja elaborado um projeto que satisfaça a demanda da empresa.

Também é importante conhecer as condições de financiamento e as possiblidades de pagamento, aliás nesse ponto temos visto grandes avanços no país, já que o mercado de energia solar está em alta e as facilidades para financiar um projeto em solar aumentaram.

Leia também: Saiba tudo sobre o financiamento de sistema fotovoltaico.

Conheça o condomínio solar

Além da possibilidade de instalar sistema fotovoltaico na sede da própria indústria, também existe a possibilidade de utilizar um condomínio solar.

O condomínio solar é uma área de geração de energia solar em larga escala, que gera créditos de energia para serem aproveitados pela indústria.

Assim, a indústria não precisa instalar um sistema físico, portanto não precisa financiar um sistema fotovoltaico. Nesse caso, a empresa apenas recebe os créditos de energia gerados nos loteamentos do condomínio solar.

Na verdade, cada lote representa uma mini usina de energia solar, que pode ser estrategicamente utilizada pela indústria. É mais simples do que se imagina, além de ser uma alternativa para quem não pode financiar um projeto.

Solar é sempre uma escolha energética inteligente

Isso porque não apenas reduz os custos operacionais das indústrias, como também promove maior sustentabilidade e permite que a produção seja realizada de acordo com as melhores práticas ambientais, que vão fazer cada vez mais parte do cotidiano de indústrias e empresas em inúmeros segmentos.

Faça agora mesmo uma simulação com a Liberty e veja como a energia solar pode fazer a diferença na sua indústria!

Leia Mais
Solar inverter  on the side of a house

Saiba de uma vez a diferença entre inversor e micro inversor solar

Mesmo que tenham um funcionamento semelhante, é importante saber a diferença entre inversor e micro inversor solar, pois são tecnologias distintas que podem impactar a etapa de conversão de energia do sistema que você decidir instalar na propriedade.

Como são equipamentos fundamentais no processo de geração de energia solar, é necessário entender um pouco mais sobre cada um. Mas não é difícil, vamos explicar o principal a seguir. Confira.

Índice

1. Diferenças entre inversor e micro inversor solar

2. Vantagens e desvantagens do inversor

3. Vantagens e desvantagens do micro inversor

Diferenças entre inversor e micro inversor solar

Um dos pontos principais é a forma como é feita a ligação dos painéis fotovoltaicos no sistema. O inversor string é conectado em forma de fileiras de painéis que, em seguida, serão ligados ao inversor. O papel do inversor é encontrar o ponto máximo de geração de energia do sistema.

Vale lembrar que o inversor string, ou inversor convencional, é um equipamento comum na maioria das instalações, que geralmente fica na parede e tem a função de fazer toda a conversão de energia do sistema fotovoltaico.

Diferenças entre micro inversor e inversor

Já o micro inversor vai atuar de uma forma independente e serão feitas ligações de 2 a 4 painéis, no máximo. Apesar de fazerem o mesmo trabalho dos inversores convencionais, a principal vantagem é que são mais eficientes, pois trabalham módulo a módulo.

 

Aproveite para saber tudo sobre o financiamento de sistema fotovoltaico.

 

Vantagens e desvantagens do inversor

Inversor e micro inversor solar

Para avaliar as diferenças entre eles, a melhor forma é comparando as vantagens e as desvantagens de cada um nas suas operações.

O inversor tem um custo reduzido. A sua manutenção pode ser feita de forma mais simples por ele não estar localizado junto aos módulos e a vistoria da concessionária de energia é bem menos burocrática.

Pelo lado negativo, para seja feita a manutenção é preciso que o sistema seja inteiramente desligado. E caso seja necessário acionar a garantia por qualquer problema, o sistema ficará totalmente desligado até que seja feito o reparo do inversor.

Leia também: Quanto custa a manutenção em energia solar?

Vantagens e desvantagens do micro inversor

micro inversor

O ponto principal do micro inversor é o fato que a eficiência dele só será prejudicada no local onde ocorrer o sombreamento. Os outros poderão permanecer em pleno funcionamento ao longo dos reparos sem que seja preciso fazer uso de um otimizador para tal.

Outro ponto importante é o fato de que todo o monitoramento pode ser feito de forma individual. Cada painel será visto separadamente. Além disso, os micro inversores também têm garantias maiores.

Por fim, não são ligados em série nos painéis e por isso cada painel pode atuar separadamente na sua potência máxima.

A escolha entre o inversor e o micro inversor solar vai depender da necessidade do projeto e também das  particularidades do local. Por isso, não perca tempo e faça uma simulação de projeto de energia solar para avaliar melhor custos e benefícios dos detalhes do seu sistema.

Leia Mais
Stand-alone exterior solar panel system installation, renewable green energy generation concept.

Entenda a diferença entre inversor solar on-grid e off-grid

Quando se decide instalar um sistema fotovoltaico na propriedade é normal surgirem algumas dúvidas, afinal é um investimento e o desejo sempre é optar pela melhor tecnologia. Nesse aspecto, vale a pena conhecer a diferença entre inversor solar on-grid e off-grid.

O ponto de partida é entender quais são as necessidades do ambiente onde o sistema será instalado, se é uma residência ou um estabelecimento comercial, para assim definir o sistema mais adequado às exigência de consumo.

Para que fique mais fácil assimilar, vamos explicar um pouco mais as vantagens e diferenças de inversor solar on-grid e off-grid, veja só.

Índice

1. O que é e como funciona o inversor on-grid?

2. O que é e como funciona o off-grid?

3. Qual sistema devo escolher: on-grid ou off-grid?

O que é e como funciona o inversor on-grid?

casa com sistema solar on-grid

O sistema on-grid é utilizado nos sistemas fotovoltaicos que estão ligados diretamente na rede pública de distribuição. Os principais benefícios de utilizar esse modelo é o fato de que há uma maior liberdade e segurança.

Isso porque quando a energia se encontra em baixa, o sistema está pronto para utilizar a rede da distribuidora. E nos momentos que a produção é muito maior, o excedente pode ser repassado para a rede pública e, em seguida, se transformará em créditos.

Saiba por que ter um sistema de energia solar valoriza o imóvel.

Esse sistema funciona da mesma forma que o painel, de modo está constantemente gerando energia e, em seguida, passará pelo inversor e será transformada em corrente alternada.

Em vez de armazenar a energia que excede nas baterias, nesse caso ela será transferida para gerar os créditos, que poderão ser usados em momentos de baixa.

O que é e como funciona o off-grid?

casa com sistema solar off-grid

Os sistemas off-grid funciona de uma forma bastante semelhante, mas com alguns detalhes diferentes do on-grid. Nesse caso, ao invés de receber e enviar a energia para a rede de distribuição, serão utilizadas baterias próprias, que também vão armazenar a energia excedente.

Diferente do outro sistema, o off-grid não vai repassar a produção de energia excedente para a rede de distribuição e, sendo assim, não receberá os créditos que poderiam ser usados em outros momentos. Esse sistema é totalmente independente da rede pública.

Outro ponto importante a se destacar é que os sistemas off-grid contam com um custo maior porque é necessário que se instale também as baterias que vão fazer o armazenamento. Entretanto, o seu grau de economia é muito maior.

Leia também: 3 modalidades de geração de energia solar e como funciona cada uma.

Qual sistema devo escolher: on-grid ou off-grid?

A escolha de qual sistema adotar vai de acordo com as necessidades do local onde serão instalados os sistemas. Para tomar essa decisão, em um primeiro momento, é preciso avaliar o que se espera e qual a necessidade que os sistemas terão que atender.

Isso porque para uma pessoa que está em busca de investir menos em um sistema inicialmente, mas também quer garantir a comodidade, o on-grid é a melhor opção, uma vez que o seu custo de instalação é bem menor do que o off-grid.

Mas se o local de instalação do sistema, por exemplo, está em uma área remota e é necessário ter independência total da rede pública pela falta de acesso, o off-grid será a melhor opção para a localidade.

 

Está pensando em instalar um sistema fotovoltaico e ainda tem dúvidas sobre inversor solar on-grid e off-grid? Converse com nossa equipe de especialistas e faça uma simulação de projeto de energia solar! Esta é, sem dúvida, a melhor forma de dar o primeiro passo para decidir sobre sua geração de energia.

Leia Mais
Drinking Water Treatment aerial top view. Microbiology of drinki

Entenda como a Energia Solar auxilia o Saneamento Básico

Os problemas com saneamento básico infelizmente são comuns no Brasil há anos, o que afeta muitas pessoas diretamente. No entanto, já existem projetos com iniciativas em que Energia Solar auxilia o Saneamento Básico, por isso vale a pena conhecer mais um benefício dessa tecnologia.

Até porque quem habita localidades onde falta estrutura de saneamento acaba mais vulnerável a doenças, o que acarreta desdobramentos graves para a saúde pública.

Então, que tal saber mais da relação entre um sistema de Energia Solar e o saneamento básico? Assim, você ganha mais motivos para investir nessa alternativa de geração de energia, uma solução em muitos sentidos.

Índice

1. A Energia Solar pode beneficiar o acesso à água potável

2. Como a Energia Solar favorece o Tratamento de Esgoto

3. Como funciona uma estação de esgoto com energia solar?

A Energia Solar pode beneficiar o acesso à água potável

A energia solar pode beneficiar o acesso à água potável

A energia solar nos últimos anos se tornou uma alternativa não somente muito valorizada para se ter acesso à energia de forma sustentável, como também tem sido aplicada para auxiliar em diversos setores.

Atualmente, vem sendo usada para fornecer saneamento básico e água potável para populações.

Como exemplo, podemos citar A ONG Saúde e Alegria, que juntamente com a Fundação Avina, desenvolveu um projeto que viabilizou o fornecimento de água potável para a aldeia Solimões, utilizando não somente um poço artesiano, mas também uma bomba que operava através de energia solar.

Assim, a água encanada passou a chegar para cerca de 248 moradores que antes não tinham acesso a esse tipo de serviço.

Como a Energia Solar favorece o Tratamento de Esgoto

Locais como a Sesamm (Serviço de Saneamento de Mogi Mirim) já demonstra o que pode ser o futuro em relação ao tratamento de esgoto, provando que a Energia solar auxilia o saneamento básico.

Recentemente o local passou a adotar um parque fotovoltaico, criado no terreno da empresa, gerando 606 megawatts.

Esse valor consegue cobrir 1/3 do consumo total de energia elétrica da empresa, o que é uma grande vantagem visto que a operação desses ambientes consome muita energia.

Esse tipo de visão inteligente sobre a tecnologia de geração de Energia Solar mostra, mais uma vez, o valor dessa alternativa. Seja para economizar nas despesas, tornar um processo mais sustentável, favorecer a sociedade ou para contribuir com soluções para o equilíbrio ambiental.

Por causa de projetos como esse, os locais onde se realiza o tratamento de esgoto não precisarão mais permanecer próximos às áreas urbanas, afinal poderão contar com a tecnologia de sistema fotovoltaico para realizar os seus procedimentos.

Aproveite para saber mais sobre a proposta da Lei de Energia Solar no Brasil.

Como funciona uma estação de esgoto com energia solar?

Saneamento e Energia Solar

A operação de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) funciona a partir geração de energia decorrente da instalação de uma usina de energia comporta por painéis fotovoltaicos de captação de luz solar.

Em uma estação do interior de São Paulo, existem cerca mil painéis fotovoltaicos de 400 kWp, com inversores, distribuídos em áreas diferentes do local: telhado, solo e carport.

 

Descubra como funciona um carport, leia: O que é e como funciona o estacionamento solar.

 

Aliás, instalações como essa do interior de São Paulo conseguem gerar uma economia de cerca de 270 mil reais com despesas de energia elétrica.

No entanto, é claro que projetos desse porte devem seguir corretamente as normas da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), respeitando as especificações técnicas necessárias para o funcionamento correto da estação de tratamento que funciona à base de energia solar.

Viu como existem inúmeras alternativas com a tecnologia de geração de energia solar envolvida? Neste artigo, mostramos como a Energia Solar auxilia o saneamento básico. Tem muito mais em nosso blog! Ainda tem dúvidas sobre o poder do Solar? Entre em contato com nossa equipe de especialistas agora! Ou faça já uma simulação de projeto de energia solar.

Leia Mais
High voltage power line with amazing  lightning

Saiba mais sobre sistema de proteção para instalação fotovoltaica

Talvez você ainda não tenha pensado nisso, mas instalações elétricas podem estar sujeitas a descargas atmosféricas ou decorrentes de relâmpagos, por isso é necessário um sistema de proteção para instalação fotovoltaica.

Os riscos existem por causa da exposição às intempéries, que aumentam as possibilidades de ocorrência de acidentes, os quais variam em proporção e intensidade.

Por isso, podem causar a queima de componentes elétricos, danos permanentes nos painéis solares (diminuindo desempenho e vida útil), ou mesmo incêndios. Entenda como preservar a instalação fotovoltaica.

Índice

1. Sistemas de Proteção Contra Descargas Atmosféricas — SPDA

2. Dispositivos de Proteção Contra Surtos — DPS

3. Como determinar o melhor sistema de proteção fotovoltaica?

Sistemas de Proteção Contra Descargas Atmosféricas — SPDA

Sistemas de Proteção Contra Descargas Atmosféricas

Em síntese, essa proteção é um para-raios com um fio aterrado que dissipa as descargas elétricas.

Um estudo sobre o tema, realizado por professores da Universidade de Campinas, mostra que para o desenvolvimento do SPDA são considerados os seguintes aspectos:

  • o sistema de aterramento do sistema de geração solar fotovoltaica deve ser interligado ao de aterramento principal da instalação;
  • os condutores de equipotencialidade devem ser roteados em paralelo e o mais próximo possível dos cabos de corrente contínua;
  • os condutores de sinal devem estar incluídos no sistema de proteção.

Pode acontecer de a instalação do SPDA não ser necessária, contudo, é preciso uma atenção especial para a escolha do nível de proteção do DPS (dispositivos de proteção contra surtos).

 

Leia também: Ter um sistema de energia solar valoriza o imóvel.

 

Dispositivos de Proteção Contra Surtos — DPS

DPS - Sistema de Proteção para Instalação Fotovoltaica

Surtos são oscilações na tensão elétrica que podem queimar aparelhos elétricos ou danificar os equipamentos do sistema. Por isso, cada DPS possui uma finalidade de acordo com cada situação:

  • instalações que levam descargas atmosféricas diretamente nas hastes de para-raios ou na rede elétrica. É utilizada em indústrias ou edifícios, construções de alturas elevadas;
  • proteção do local contra o excesso de tensão. Dispositivos utilizados em residências;
  • proteção de equipamentos sensíveis a surtos, ou seja, dispositivos instalados em cada aparelho.

 

Aproveite para saber também: Como fica a orientação e inclinação dos painéis solares?

 

Quando inativo, o DPS age como um circuito aberto (a corrente não passa). Na ocorrência de um surto, o DPS transforma-se em um circuito fechado, desvia a corrente do condutor com excesso de tensão para o aterramento e diminui a oscilação na tensão para outros aparelhos conectados ao circuito.

Como determinar o melhor sistema de proteção fotovoltaica?

 

Escolher sistema de proteção

Segundo Hélio Sueta, engenheiro e professor da Universidade de São Paulo, vai depender de cada categoria de sistema. Em geral, o sistema fotovoltaico deve estar no volume de proteção do SPDA e um sistema específico de DPS deve ser instalado para proteção dos componentes. Um é geral, outro é específico.

A norma sobre SPDA (Sistemas de Proteção de Descargas Atmosféricas) NBR 5419 define qual o tipo de DPS correto para a instalação baseado na distância do condutor de descida de descarga atmosférica e de outros circuitos da instalação.

Conseguiu entender melhor sobre proteção para instalação fotovoltaica? Acesse o nosso site, temos uma Plataforma de Projetos Fotovoltaicos e Homologação nas distribuidoras de energia. Temos também uma equipe de especialistas para tirar suas dúvidas, entre em contato conosco ou faça uma simulação de projeto de energia solar.

Leia Mais
Aerial view of solar power plant with blue photovoltaic panels mounted of apartment building roof.

3 modalidades de geração de energia solar e como funciona cada uma

O sistema fotovoltaico funciona a partir da captação da luz do sol por meio de painéis solares e, com isso, é produzida energia. No entanto, existem modalidades de geração de energia solar diferentes e o melhor é compreender cada uma delas para saber as vantagens.

Em 2015 no Brasil, a Agência Nacional de Energia, criou a Resolução Normativa 687, que possibilitou a flexibilização da geração doméstica de energia. Então, tornou-se possível produzir e consumir energia elétrica no mesmo local.

Além disso, também foram aprovadas três modalidades de geração de energia solar distribuída: o empreendimento com múltiplas unidades consumidoras, a geração compartilhada e o autoconsumo remoto. Vamos falar sobre cada uma abaixo.

Índice

1. Empreendimento com múltiplas unidades consumidoras
1.1 Energia solar em condomínio de apartamentos

2. Geração compartilhada

3. Autoconsumo remoto

Empreendimento com múltiplas unidades consumidoras

Empreendimento com múltiplas unidades consumidoras

A modalidade em questão é composta por condomínios, que podem ser de casas ou apartamentos (residenciais ou comerciais), e é caracterizada pela utilização da energia elétrica de forma independente.

No caso das instalações para atendimento de áreas de uso comum, como salões de festas e outros, é necessária uma unidade consumidora distinta, de responsabilidade do condomínio, ou proprietário do imóvel.

Leia também: Como funciona a geração de energia solar em dias de chuva?

Além disso, é importante que os consumidores estejam localizados em um mesmo apartamento, ou que estejam próximos, pois assim como as demais despesas do condomínio, a energia utilizada é dividida entre os moradores.

Energia solar em condomínio de apartamentos

Energia solar múltiplas unidades

Por exemplo, vamos imaginar um condomínio de apartamentos, e que os condôminos decidem que a área de instalação do sistema fotovoltaico será a garagem do prédio ou uma área da cobertura do edifício.

Eles também poderão decidir se irão instalar um sistema que vá suprir apenas a energia consumida nas áreas comuns do edifício, ou suprir o consumo dos apartamentos dos moradores que estão inclusos no acordo, e ainda podem optar por suprir ambos.

Sendo assim, após o sistema ser instalado, cada condômino poderá compensar parte da energia gerada em sua conta de luz individual, ou compensar o consumo de alguma área comum do condomínio.

Geração compartilhada

Geração compartilhada

A geração compartilhada se caracteriza por possibilitar o compartilhamento de energia de micro ou minigeração entre um grupo de pessoas, que esteja dentro da mesma área de concessão ou permissão.

Esse modelo é utilizado por pessoas físicas/jurídicas, que se unem em consórcio ou cooperativa, estando em locais atendidos pela mesma rede distribuidora de energia, para investir em um único sistema fotovoltaico que possibilite economia em suas faturas.

A geração compartilhada é dividida em duas capacidades, de acordo com a Resolução Normativa 482 (REN n.º 482/2012 da ANEEL):

  • Microgeração distribuída: central geradora de energia elétrica, cuja potência instalada é menor ou igual a 75 kW;
  • Minigeração distribuída: mesmo critérios da microgeração, porém com potência instalada superior a 75 kW e menor ou igual a 5MW.

Por exemplo, alguns empresários de um prédio comercial resolvem se unir para instalar o sistema fotovoltaico. Mas para isso acontecer, será necessário instalar o sistema em um terreno, que pode não ser do prédio. Lá será, portanto, a usina de geração de energia solar deste grupo de pessoas.

Aproveite para saber também sobre a proposta da Lei de Energia Solar no Brasil.

Autoconsumo remoto

Autoconsumo remoto

Para finalizar, vamos falar da modalidade do autoconsumo remoto, que permite que seja instalado seu próprio sistema fotovoltaico em um terreno ou imóvel e utilizar os créditos de energia em outro lugar.

O autoconsumo remoto possibilita que uma pessoa física, com posse de mais de um imóvel, seja micro ou minigerador de energia distribuída, e assim consiga compartilhar o crédito de energia nos dois imóveis, porém as propriedades precisam estar na mesma área de distribuição.

Por exemplo, vamos supor que você tenha duas moradias, uma em um prédio e outra uma cidade do interior. Com o autoconsumo remoto, você pode instalar um sistema de energia solar fotovoltaico na sua casa do interior e utilizar os créditos de energia para o apartamento onde você mora.

Gostou de conhecer melhor as três modalidades? Então, acompanhe outros artigos em nosso blog, ou faça já uma simulação de projeto de energia solar e tire dúvidas com nossa equipe de especialistas.

Liberty Energia Solar em Caruaru PE - Residencial - Comercial - Industrial - Estacionamento e Usina Solar